A Noite que Portugal foi envadido pelos ovnis - Universidade Ufo Brasileira

ULTIMAS

A Universidade ufo Brasil é um site responsável em orientar As Pessoas os casos ufologicos e misterios

ANUNCIOS

quarta-feira, 20 de abril de 2016

A Noite que Portugal foi envadido pelos ovnis

 portugal

Quando tomada NOITE DIA 1979 caso único dito para PUFOI INTERVENÇÃO.

O PUFOI tem sido no processo de revisão da substância dos eventos de algumas observações da série Português, que embora tenham sido classificadas no momento da inscrição, levantar uma outra "olhar", cimentada em novas perspectivas e novos conhecimentos.

Os fenómenos como a "vaga" (como na presente análise caso) e testemunhado e relatado por pilotos militares e civis, merece sem dúvida este.
Assim surgiu o caso 15 de julho de 1979, na medida em que tem variado e muito vasto número de características testemunhas.

Localização: De norte a sul de Portugal continental e zona fronteiriça espanhola de Valencia de Alcántara.
Data: 15 de julho de 1979
Tempo: Cerca entre 00,00h e 15:30 (embora não haja referência às observações anteriores para 00,00h).
Distância: Cerca de 50 metros, a observação mais próxima (Chamusca, Ribatejo); talvez vários quilômetros, nas observações mais remotas.
Comprimento: Em geral, curto (alguns segundos), mas alguns minutos, mais raramente.
características gerais do fenômeno: Forte brilho de cor clara, às vezes azulado.
massa globular em movimento rectilíneo, deixando rastro brilhante, extinguindo-lo dentro de segundos.
Flashes de luz dirigido e muito intenso.
Velocidade, lento para muito rápido.
Testemunhas alguns milhares.

Em 15 de julho 1979, os céus de Portugal apresentou um conjunto de manifestações luminosas que, porque, por um lado, à sua alta geografia e por outro, as diferentes características, pode-se deduzir que, muito provavelmente, que estávamos na presença, não um fenômeno único, mas vários fenómenos atmosféricos.
Também o facto de a duração dos sinais é variável reforça esta ideia (ver mapa).

portugal3

Além das observações à longa distância, temos um conjunto de contas, como citado em Chamusca e Portimão, onde um guarda de noite disse que observou um objeto circular, cerca de 5 metros de diâmetro, cerca de 250/300 metros.

Depois, há também situações objetos esféricos, estacionário, como observado em Tomar - uma forma rectangular vertical, mal definida, que "apagou" no local onde ele estava.

Havia luzes ou objetos que surgiram antes ou depois de um flash, relatadas por numerosas testemunhas. Em V. N. Gaia, cinco minutos após a passagem de um fenômeno tipo "bólido" (meteoros rápido), apareceu várias luzes geometricamente a uma velocidade mais lenta.
Em Alcácer do Sal, um motorista notado pela primeira vez um objeto em alta velocidade e pouco depois ainda outro, forma alongada, que parecia perseguir o primeiro, mas animado para maior velocidade até que o segundo objeto atingiu o topo, continuando juntos 4-5 segundos para extintos.

Há relatos de ruídos de audição, como em S. Martinho do Porto, onde alguns jovens, depois de observar o fenômeno, disse ouvir um estrondo com uma frequência baixa.
Em Alcobaça, um motorista foi ofuscado pela luz, e meia hora mais tarde, já em Caldas da Rainha, aprendi que os moradores tinham acordado no momento da sua observação com um ruído estranho, como "portas de bater."
No Porto, o brilho, o diâmetro da Lua, foi seguido por uma longa cauda de 3 a 4 vezes; durante a passagem do fenômeno a testemunha tinha a sensação de ouvir um barulho como hum ou murmúrio, quase imperceptível em crescendo e decrescendo.
Torres Novas, Nazaré, V. N. da Barquinha e Torres Vedras, o brilho é acompanhado por um ruído alto.
Em Castro de Aire, uma bola luminosa quebrou com um ruído.
Todos estes relatórios apontam para uma possível onda de choque causada pela passagem do fenômeno.

Há também outros detalhes como odores detecta alguns locais. Em Restelo, em Lisboa, o brilho tremia com "flashes de luz" e se sentiu "um cheiro estranho" no ar.
Tapada da Ajuda, também em Lisboa, testemunhas afirmam ter visto um objeto fixo no ar, que, depois de desaparecer, deixou um "forte cheiro de fogo e enxofre."

Há também denunciar os casos de possível interferência elétrica, relacionadas com o fenómeno (ou fenômenos) de ar.
Em Pegões, a RDP transmissor de ondas curtas registrado para 2,30h um corte de energia com duração de 3 minutos.
Em V. N. Gaia, um carro diminuiu o poder das luzes eo motor parou.
Em Viana do Castelo, após a passagem de flash sobre a cidade, toda a iluminação, incluindo vias públicas, foi extinto, deixando tudo escuro; EDP ​​e Serviços Municipal confirmou o "black-out", que durou até a 3,46h.
Em Tancos, foi visto um brilho verde-amarelo emitindo um motor de combustão tipo de ruído, e um veículo que circulava no momento em que é imobilizado por paragem do motor.
E ainda mais espetacular: no Estoril, quatro pessoas estavam viajando em um carro quando viram o brilho; altura em que o veículo "sufocada" e os ocupantes eram assim momentaneamente paralisado.
Momentos antes, o rádio do carro registrado problema de interferência (a questão da "paralisia" que as testemunhas podem ter sido devido somente a uma reação psicossomática causado por surpresa e medo do inesperado, o desconhecido!).

Os relatórios mais difícil de explicar, por exemplo, à luz da hipótese meteórica, são mencionados: a militar que estava de serviço na zona de radar (portanto, dentro do perímetro militar), localizado no topo da colina perto da Base Aérea 2 (Ota) em Montejunto, disseram ter ouvido 5 minutos após o aparecimento de um relâmpago, um enorme ruído, e viu inicialmente ocorrem no ar o que parecia ser uma ponta de cigarro, eles pensamento indo para a terra.
Ao passar em seu vertical, ele parou um pouco e de repente abriu-se uma espécie de "janela", que foi emitido um flash de alta intensidade que incidiu sobre eles e ao ambiente envolvente (veja imagem abaixo).


No final da observação do fenómeno tem uma forma charutóide, ter retirado lentamente do local.
A terra tremeu delicadamente e alguns cães de guarda ficaram aterrorizados, vindo a fugir.
Note-se que embora eles estão perto das instalações de radar, este não operacional. Também bem sucedido em Idanha-a-Nova, Castelo Branco, onde foi observada uma muito fina e alta objeto, que foi interrompida cerca de 15 minutos, emitiu dois flashes e desapareceu no céu, com tendência de aumento, não será muito fácil para explicar ... em Paço de Arcos, Lisboa, onde eles foram vistos várias "bolas de fogo" que se tornou depois um tipo de faixa "rasgar", que de repente desceu obliquamente, indo para cima e, em seguida, desaparecer; na área de Sete Rios, ainda em Lisboa, observadores dizem ter sido cercado por um cone de luz no centro dos quais se destacaram vários pontos luminosos esféricas.
Deve notar-se que um testemunho, colocada fora da área iluminada, pode ver a fonte da fonte de luz, o qual estimou a operar a uma altitude elevada.
É claro que, neste caso, podemos equacionar a hipótese de luz é apenas o brilho forte e pontos brilhantes podem ter sido causados ​​por reflexos; Finalmente, gostaríamos de mencionar o caso da Costa da Caparica, observada por muitas pessoas na praia.
Vamos olhar para a história, eloqüente, um deles, que estava com um grupo de amigos: "Eu vi claramente, como se fosse dia, pequenos grupos de pessoas ao redor das fogueiras na praia fora.
Eu diria que a luz não era sombras.
Tenho a sensação de que a luz banhava tudo e todos sem verificar a projecção de sombras, como acontece naturalmente.
Voltei a olhar para cima e fixar a atenção no objeto que claramente tinha uma forma circular, e que naquele tempo já passou sobre nós ligeiramente para a direita da linha vertical a partir do ponto onde estávamos (talvez 50 metros à nossa direita) .
A luz de um branco cristalino intensa vertendo uma área central do fundo do objecto, mas nada em comparação com um feixe de luz concentrado.
Pelo contrário, não percebeu que ponto estes menor área central do objeto foi projetado.
O efeito luminoso nesta área do objecto parecido mais uma névoa simultaneamente brilhante e difuso fraco, não permitindo discernir o objecto das formas acima dela.
Entre a área do centro, de onde veio a luz branca, e a área externa do objeto circular, que brilha com intensidade variável, cores absolutamente fantástico de luz: vermelho, verde, azul, mas com uma clareza muito diáfana superior ao nosso neon luz comum, me passando
Ota 15 de julho de 1979
uma sensação de conforto profundo.
Por um momento eu senti o desejo ea ilusão de que seria possível voar ou deixe-me submergir por esses sparkles esmeraldas, rubis e azuláceos claramente delimitado o perímetro daquela coisa voar. Para aqueles momentos, movendo-se quase acima do ponto onde estávamos, nem eu nem outros poderiam vislumbrar a forma da parte superior do objeto.
No entanto, como ele estava fora e ele cruzou a linha de falésias para o próximo momento desaparecer do nosso campo de visão, foi possível notar que não havia clareza e nenhuma fonte ou forma de luz no espaço e na área sobre o objeto.
Este, sempre enviando estas luzes, e um silêncio absoluto, estava se afastando lentamente da praia, voou sobre a floresta e, depois, passou por cima da falésia, ponto a partir do qual deixámos de o relógio de energia, ficando a praia novamente na escuridão da noite , e os três de nós, boquiabertos incapazes de articular qualquer frase coerente. "
Observe também que o Aeroporto da Portela do radar e da Força Aérea Português gravada radar de ecos desconhecido.
Investigação / PRESSUPOSTOS
Primeiro, a imprensa, rádio e TV, ecoou esses eventos, apresentando os dois últimos "media", algumas testemunhas ao vivo, que se transformou o caso em um evento nacional.
A maioria da imprensa provou ser sensacional no fenômeno da abordagem, não hesitando em atribuí-la a manifestações de OVNIs (embora muito provável, como mostram as conclusões do CEAFI e PUFOI) sem uma análise cuidadosa e detalhada de todos os relatórios.
A principal investigação foi conduzida por CEAFI (Centro de Estudos Astronómico e fenômenos incomuns), com sede em Porto, mas com uma vasta rede de centros em todo o país, embora outras associações congéneres privadas, em menor grau, também acompanhou o caso.
Em uma tentativa de encontrar uma explicação para o conjunto de manifestações atmosféricas transmitidas, CEAFI contactado várias organizações, nomeadamente o Instituto Nacional de Meteorologia e Geofísica (INMG), o Centro de Ajuda Nacional (ONA), da Nasa (agência espacial norte-americana) e NORAD ( comando da Defesa Aérea da América do Norte).
Quanto à possibilidade de ter tratado um ou mais re-entrada de corpos origem meteórica, este ou devem coincidir com os corpos dimensões apreciáveis, dado o tipo de contas de testemunhas: "Bola de fogo, tipo bola de fogo, faixa de luz, etc.". Numa análise superficial, características comuns a algo que, em rota de colisão, entra na nossa atmosfera. No entanto, é importante notar que o nosso planeta é bombardeado diariamente com cerca de 25 toneladas de partículas cósmicas, geralmente menos de um grão de areia, que quebram o "toque" em nossa atmosfera e, portanto, invisível aos nossos olhos.
A cada ano, cerca de 30.000 refere-se fragmentos com um peso inferior a 100g. Destes, cerca de 100, tem uma altura inferior a 10 kg e ainda muito raramente atingem o solo e nunca tem flashes intrigantes e vale de grande referência. Um meteorito é um fenômeno comum, mas indescritível, que dura alguns segundos.
Para recapitular, a nossa Terra é bombardeada 24 horas por dia, 365 dias por ano por milhões de corpos meteóricos de origem natural, e muito raramente atingido por fragmentos que constituem notícia, através do seu comportamento espetacular e isso traria consequências visíveis, o que não o foi caso.
Falou-se da possibilidade de tratar o "enxame Delta Aquáridas" cujo pico está localizado no final de julho, entre os dias 28 e 30, mas em algumas mesas para dar-lhes uma extensão temporal de cerca de dez dias para frente e para trás.
em seguida, é preciso explicar o seguinte: Cerca de 15 de julho, o pico da chuva de meteoros (o tempo em que há muitos mais), será sobre as "Julho Phoenicids" e não para aqueles "Delta Aquáridas".
No entanto, tradicionalmente, essa chuva de meteoros é muito raramente visível.
Pode, no entanto, ter sido um ano excepcionalmente bom determinado local.
Também em 15 de julho, uma coisa interessante nessa data, é que chama muitas chuvas de meteoros, ao mesmo tempo, alguns deles para começar, outros deles para terminar.
Obviamente, o início eo fim são vistos muito poucos, fora de pico noites são normais para ver estrelas cadentes.
No entanto, sendo um encontro com tantos chuva "estrelas caem", pode pensar através da propriedade de acumulação, as pessoas podem ver estrelas cadentes em posições céu diferentes, pode pensar que é apenas uma chuva de estrelas, mas pode ser o acúmulo de vários, com uma queda de uma estrela, um ao outro, uma outra, e assim por diante (*).
Em suma, a hipótese meteórica é remotamente possível, e corroborando, é a reação do chefe do Centro Nacional de auxílios que, contactado por CEAFI, eu diria que, provavelmente, isso implicaria um meteorito, uma vez que era na época do " Delta Aquáridas ".
Se é que tinha tratado um fenômeno meteórico (ou mais) de tal magnitude e amplitude, que essas mesmas entidades para dar a notícia ao "media", não há necessidade de responder (claramente, descartando a situação), apenas quando solicitado.
Daí a hipótese meteórica perder grande valor, sem ser descartado.
Por sua vez, quer NASA ou NORAD, descartar a possibilidade de que ele é "lixo" estação espacial "SKYLAB" (como já foi debatido), que se desintegrou sobre o Oceano Índico, em 11 de julho, portanto, quatro dias antes desses eventos relatados ( ver suas cartas de resposta no final do texto).
Estas foram as conclusões que a equipe "PUFOI" chegados.
(*) - Esta análise contribuiu para a opinião de Astrónomo Carlos Oliveira, da Universidade do Texas.
CONCLUSÕES FINAIS
Pode-se concluir, portanto, que um período de tempo muito amplo, o espaço aéreo nacional foi sobrevoada por um ou mais não-convencionais artefatos voadores e comportamento característico e incomum e claramente artificial, atravessando a zona norte sul, sendo detectado / s para alguns mil pessoas, interferindo (pontos de luz projetadas), direta ou indiretamente.
É possível que, simultaneamente, têm sido observadas uma ou mais meteoritos, mas, como já foi referido, esta situação seria irrelevante quando comparado com o caso descrito.
Gostaríamos também de mencionar que "PUFOI", após esta análise procurou saber o parecer final de cada um dos três elementos ativos, para o efeito, teria 33% como valor máximo para classificar o evento em questão.
O resultado que cada deu a conhecer individualmente e sem conhecimento prévio de cada um dos outros elementos encontrados em termos percentuais, o caso aponta para a probabilidade de 90% de ter lidado com fenômenos aeroespaciais desconhecidos. Os 10% restantes podem incorporar outras hipóteses.
Porto, 07 de abril de 2015
o PUFOI

portugal3

portugal5



Fonte: ufoportugal

Postar um comentário
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial