terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Universidade Ufo Brasileira , O brasileiro que inventou o rádio , Casos Nacionais , Noticias , Relatos ,
O brasileiro que inventou o rádio 4 5 1

O brasileiro que inventou o rádio

No século XIX, dois anos antes da Marconi italiano, Landell de Moura realizou experimentos de transmissão de som sem fio em São Paulo

padre radio brasil

Em 3 de junho de 1900, a Avenida Paulista presenciou uma cena que deveriam ter ido para a história. Lá, um cientista padre intrometido reuniu a imprensa, políticos e personalidades de demonstrar publicamente os experimentos realizados há mais de seis anos. Usando um dispositivo inventado por ele mesmo, o pastor enviou sinais telegráficos e transmitiu a voz humana a uma distância considerável (8 km), sem a ajuda de fios e irradiada por uma onda eletromagnética, pela primeira vez na história. Enquanto isso, o homem que se tornou conhecido como o inventor do rádio, o italiano Guglielmo Marconi, ser operado apenas com a transmissão e recepção de sinais telegráficos - em distâncias muito menores.

Na época, cientistas de todo o mundo pesquisando uma maneira de atravessar os três principais descobertas relativas a distância de comunicação: o telégrafo elétrico (1837), o telefone com fio (1876) e radiação eletromagnética (1888). O italiano Marconi obteria fama - eo Prêmio Nobel de Física - ter realizado a façanha. Mas a passagem de documentos e correspondência do período revela que, antes de Marconi, o padre gaúcho Landell de Moura (1861-1928) já havia desenvolvido o telégrafo sem fio, telefone e transmissor de onda "landellianas" sem fio como alguns argumentam (e não "radio" ).

Para tentar corrigir o ser uma injustiça histórica avaliar e aumentar o brasileiro à lista de grandes inventores, um grupo de pesquisadores e amadores fundou o Movimento Landell de Moura (MLM). No ano passado, o matemático Luiz Netto, jornalista Hamilton Almeida e amadores Alda Niemeyer e Daniel Fiqueiredo colocar no ar um site, conquistando assinaturas para pedir ao governo brasileiro a reconhecer oficialmente o sacerdote como um pioneiro das telecomunicações.

Acervo Luiz Netto / MLM
padre radio brasil

Bem como Santos Dumont é chamado o pai da aviação, o movimento afirma que o gaúcho é reconhecido como o inventor do rádio. A campanha vai até 21 de janeiro de 2011, quando o padre iria completar 150 anos.

Os resultados padre-inventor foram publicados pelos principais jornais na época, mas ele não podia nem patente nem comercialmente produzir suas invenções no Brasil. Entre os dispositivos que já desenvolvidos ou projetados são a "teletíton" (telegrafia sem fios), o "teleauxiofone" (telefonia microfone com fio e alto-falante), o "transmissor de ondas", o "edífono" (purificador de voz) e "caleofone" (voz interfone).
Coleção Luiz Netto / MLM

Um dos documentos US Patent Office confirmando o registro de invenções de Moura Landell US frustrado com a falta de capacidade de resposta de suas descobertas no Brasil, Padre partiu para os Estados Unidos, onde registrado em 1904, as patentes em três de suas invenções: o transmissor de ondas , o telégrafo sem fio eo telefone sem fio.

Para Luiz Netto, "Landell demonstrado, por meio de seu transmissor de onda, que poderia passar a fala humana articulado via ondas eletromagnéticas, enquanto Marconi focado apenas em transmissão de símbolos alfanuméricos por telégrafo." O italiano, portanto não mente a transmissão de voz. ". Eles são invenções distintas Então, quando perguntado sobre quem foi o inventor do rádio, é necessário fazer uma outra pergunta: o que estamos a falar de rádio"


padre radio brasil

Na edição de 12 de Outubro de 1902, o jornal americano The New York Herald dedicou um relatório ao padre-inventor. O artigo relatou suas experiências em telefonia sem fio, apresentados como uma novidade perseguido por cientistas num momento em que a telefonia convencional (com fio) já foram dominados.

Em uma entrevista com o jornalista norte-americano, Landell de Moura disse: "Eu gostaria de mostrar ao mundo que a Igreja Católica não é um inimigo da ciência ou do progresso humano." O clérigo também revelou que suas crenças levou-o a ser perseguido por seus pares. "No Brasil um grupo supersticioso, acreditando que eu tenho um pacto com o diabo, entrou no meu estudo, e destruiu toda a minha aparelho", disse ele. "Eu sei o que senti Galileo."

Fonte: uol
Reações:
Comentários
0 Comentários

0 comentários: